Pessoal do Ceará

Movimento O Pessoal do Ceará - Massafeira

Pessoal do Ceará foi um movimento cultural brasileiro surgido na década de 1960, sendo um dos mais importantes movimentos da música contemporânea cearense. O movimento surgiu após surgir no Ceará um grupo de artistas e intelectuais que pensavam, criavam, recriavam todas as questões que inquietavam o país na época. Entre seus integrantes existiam filósofos, físicos, químicos, arquitetos, músicos, poetas, cantores e atores.

O marco deste movimento aconteceu em 1972, quando a gravadora Continental lançou o disco Pessoal do Ceará – Meu Corpo Minha Embalagem Todo Gasto na Viagem, que introduziu novos compositores cearenses no mercado fonográfico. Segundo o pesquisador Pedro Rogério, "a ideia de criar o "Pessoal do Ceará" partiu de Augusto Pontes, tendo como base os movimentos Tropicália e Clube da Esquina. Desta forma, o "Pessoal do Ceará" encontra-se inserido no contexto sócio-cultural dos movimentos musicais daquela época, marcado pela atmosfera dos festivais e pelo engajamento político".

Conforme conta Rodger Rogério, cantor e compositor cearense, em 1971 houve o IV Festival Universitário, e o cantor Belchior ganhou o primeiro lugar do festival com a com a música "Hora do Almoço". A vitória do Belchior mostrou ao Brasil, e ao próprio Ceará, que a música cearense concorria com a nacional.

Ainda segundo relata Rodger, anos depois, ele e Belchior, se reencontraram em SP e foram convidados a fazer um programa de entrevistas na TV Cultura, chamado "Proposta", que contava ainda com Ednardo e Téti. Semanalmente, os quatro eram provocados a compor e apresentar durante as gravações canções que estivessem ligadas ao assunto abordado com o entrevistado. Um dos entrevistados do programa foi o produtor musical Walter Silva, que quis produzir um disco com eles. Assim nasceu o LP Pessoal do Ceará – Meu Corpo Minha Embalagem Todo Gasto na ViagemBelchior e Fagner não entraram no disco porque já tinham projetos solos encaminhados.


1. A Manga Rosa (Ednardo)
Ednardo

2. A Palo Seco (Amelinha, Belchior e (Ednardo))
AmelinhaBelchiorEdnardo

3. Armadura (Ednardo)
Ednardo

4. Artigo 26 (Ednardo)
Ednardo

5. Atalaia (Ferreirinha / Graco / Caio Sílvio))
FerreirinhaGracoCaio Sílvio

6. Aurora ( Ednardo / Belchior)
EdnardoBelchior

7. Aviso aos Navegantes (Lúcio Ricardo)
Lúcio Ricardo

8. Beira-mar (Ednardo)
Ednardo

9. Brejo (Régis / Rogério / Ednardo)
RégisRogérioEdnardo

10. Bueno-Aires (Citroen) (Sérgio Pinheiro / Stélio Valle)
Sérgio PinheiroStélio Valle

11. Como as Primeiras Chuvas do Caju (Ângela Linhares/Ricardo Bezerra)
Angela LinharesRicardo Bezerra

12. Cor de Sonho (Mona Gadelha)
Mona Gadelha

13. Em Cada Tela uma História (Lúcio Ricardo)
Lúcio Ricardo

14. Enquanto Engomo a Calca (Ednardo)
Ednardo

15. Estradeiro (Rogério Soares)
Rogério Soares

16. Frio da Serra (Petrúcio Maia / Brandão com Lopes, Ednardo e Fagner)
Petrúcio MaiaBrandão

17. Isopor (Wagner Costa)
Wagner Costa

18. Jardim do Olhar (Fausto Nilo / Stélio Valle)
Fausto NiloStélio Valle

19. Lagoa de Aluá (Ednardo) - Intérprete: Amelinha
EdnardoAmelinha

20. Maresia (Ednardo)
Ednardo

21. Mucuripe (Belchior e Fagner)
BelchiorFagner

22. Não haverá mais um Dia (Pachelli Jamacarú)
Pachelli Jamacarú

23. O que foi que você viu (Stélio Valle / Chico Pio / Nertan Alencar)
Stélio ValleChico PioNertan Alencar

24. O Rei (Tânia Cabral)
Tânia Cabral

25. O Sol Acordou (Ednardo)
Ednardo

26. O sol é que é o quente (Alano Freitas)
Alano Freitas

27. Pavão Mysterioso (Ednardo)
Ednardo

28. Pé de Espinho (Rogério / Stone / Pinoquio)
RogérioStonePinoquio

29. Pelos Cantos (Graco)
Graco

30. Reizado (Graco / Stélio Valle / Augusto Pontes)
GracoStélio ValleAugusto Pontes

31. Senhor Doutor (Patativa do Assaré)
Patativa do Assaré

32. Terral (Ednardo)
Ednardo

33. Último Raio de Sol (Rodger Rogério / Clodo / Fausto Nilo)
Rodger RogérioClôdoFausto Nilo

34. Vento Rei (Zé Maia / Calé Alencar)
Zé MaiaCalé Alencar

35. Viva Vento (Vicente Lopes)
Vicente Lopes