Zenon Barreto

Zenon Barreto

Zenon da Cunha Mendes Barreto (Sobral, 31 de dezembro de 1918 — Fortaleza, 18 de janeiro de 2002) foi um pintor, desenhista, gravador, escultor, cenografista e ilustrador brasileiro.

Zenon Barreto chegou em Fortaleza e ingressou na Sociedade Cearense de Artes Plásticas em 1949. Participou e foi premiado em diversos eventos: Salão de Abril, Salão de Arte Moderna, Bienal Internacional de São Paulo, Panorama de Arte Atual Brasileira e Salão de Artes Plásticas do Rio Grande do Sul, dentre outros.

Zenon ministrou cursos de desenho, atuou como cenógrafo e figurinista em peças encenadas no Theatro José de Alencar, em 1950, coordenou a restauração da Casa de José de Alencar, e publicou os álbuns Dez Figuras do Nordeste, documentário com xilogravuras de arquétipos humanos nordestinos com poemas de cordelistas cearenses e prefácio de Câmara Cascudo, e Ritos, Danças e Folguedos do Nordeste, documentário com xilogravuras prefaciado pelo poeta cearense Patativa do Assaré.

Possui obras no Museu Nacional de Belas Artes, Palácio da Abolição, Paço Municipal de Fortaleza, Museu de Arte da UFC, Universidade de Fortaleza, sede do Banco do Nordeste, Embaixada do Brasil em Londres, e é co-autor do grande vitral do Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado. Possui diversas esculturas em logradouros de Fortaleza, sendo a mais famosa a que retrata a figura de “Iracema”, personagem do romance de José de Alencar, encravada na praia do mesmo nome.

zenon barreto - quadro 1
zenon barreto - quadro 2
zenon barreto - quadro 3
zenon barreto - quadro 4