Estrigas

Estrigas

Nilo de Brito Firmeza adota o apelido de Estrigas desde os tempos de estudante do Liceu do Ceará. Formado em odontologia, passa a frequentar a Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP, em 1950, onde realiza seus primeiros cursos de pintura e desenho, e torna-se membro da diretoria, em 1953.

Exerce a odontologia e leciona nessa área por aproximadamente 15 anos e, em paralelo, atua como colaborador de revistas especializadas e jornais de grande circulação da cidade de Fortaleza, publicando textos sobre artes plásticas.

Trabalha também como ilustrador em publicações de prosa e poesia de diversos autores cearenses, como Milton Dias, Otacílio Colares e Manuel Coelho Raposo. Participa do Salão dos Novos em 1952 e 1953 e, em 1954, é premiado com medalha de prata quando expõe pela primeira vez no Salão de Abril, mostra de que participa em diversas ocasiões de sua carreira, até a década de 1990.

Em 1969, funda o Mini-Museu Firmeza, em Mandubim, no sítio em que reside próximo à capital cearense. Dois anos depois, realiza exposição no Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará - Mauc, com sua mulher Nice Firmeza.

Escreve os livros Contribuição ao Reconhecimento de Raimundo Cela e A Saga do Pintor Francisco Domingos da Silva, ambos em 1988;

Arte: Aspectos Pré-Históricos no Ceará (Uma Contribuição ao Estudo das Artes Plásticas no Ceará), 1989, e Barrica: O Alquimista da Arte, 1993. Em 2007, é homenageado pela Universidade Federal do Ceará - UFC com a Medalha do Mérito Cultural, em reconhecimento a sua contribuição à cultura e à arte, ocasião em que o Mauc realiza a exposição Nice e Estrigas, Pinturas e Desenhos, reunindo cerca de 50 trabalhos do casal.

estrigas - quadro 1
estrigas - quadro 2
estrigas - quadro 3